Aculturação e o papel da religião.

 

Aculturação e o papel da religião. Diremos que as religiões vivem da angústia moral das pessoas, que procuram apoiá-las para lhes dar apoio e, portanto, esperança. Costumava dizer que se a esperança ajuda a viver, ela não avança intelectualmente falando. Essa é a grande diferença entre o potencial da alma, vital, quase físico, e o do espírito, totalmente incorpóreo. Também podemos dizer que nenhuma religião é perfeita e que o espírito como tal é evolucionário, este último, portanto, só pode ser dado em um único momento "T". O que quero que você entenda com isso é que um texto religioso, seja ele qual for, só pode representar uma parte não evolutiva de um pensamento que, se for divinizado, ainda assim permanece temporal. Portanto, só é perfeito em um determinado momento e no futuro, inevitavelmente, perderá sua força e sua clareza. Esta é toda a história de vida, mudança e adaptação. É principalmente por causa disso que o pensamento druídico não foi escrito. Foi e ainda faz parte da evolução vital da anima de todos. Podemos, portanto, considerar que todos os textos sagrados eram "perfeitos" apenas em um momento "T". É assim, caindo nessa armadilha, que as religiões se tornam fábricas de idiotas. E quando você fala a mesma coisa para alguém o dia todo, eles não evoluem por si mesmos, prisioneiros de pensamentos antigos, a pessoa fica retrógrada, são lançados no passado de um pensamento que não existe mais. tópico. A pessoa excessivamente religiosa é expulsa do tempo. E isso é perigoso. Em última análise, é uma divindade ersatz, uma manipulação mental que causa uma espécie de transe por meio da subjugação. Quando paramos de pensar, de tentar entender, não existimos mais. No entanto, a religião tem um papel importante e, na verdade, é preciso dizer, é útil em grande parte para populações que não têm acesso a padrões de pensamento muito evoluídos. Ela trabalha rapidamente porque você não precisa trabalhar anos para acreditar e confiar. Além disso, a única coisa que faz de uma religião uma grande corrente de "oportunidades de reflexão" é a confiança que as pessoas nela depositam. Por trás disso, existem também algumas fábricas malucas que usam sistemas de pensamento arcaicos. Lisonjeia-se as inclinações naturais da animalidade humana para fazê-las tender para a bestialidade, deslumbra alguém simplesmente por um pensamento truncado. Não se trata mais de um ou de vários deuses, mas de treinar os humanos como alguns fariam com os animais. E o resultado é claro, sistemático: é assim que fazemos idiotas "sob ordens", prisioneiros de escritos de outra época. Portanto, o senhor me dirá, se a religião é útil, como garantir que os prelados não se enganem na definição dela, para que transmitam sentimentos de uma verdadeira maravilha divina. Na verdade, apenas aqueles que verdadeiramente entraram na divindade podem fazê-lo, e na maioria das vezes eles já faleceram quando uma igreja ou outra os trouxe aos céus. Foi um negócio humano que escolheu seus "santos". É por isso que o Druidismo não representa a divindade sob uma aparência humana, porque não é humano ou físico na realidade (exceto na prática das artes e na superação). Quando você entende isso, você alcança um nível mais alto e a porta para todos os entendimentos não está tão longe, a onisciência espera por você. (Cabe a você entender que não se pode adquirir onisciência, é ela quem pode possuí-lo. Esta é precisamente a base da divindade, seus segredos pertencem apenas a alguns, aqueles que são elevados até entrarem no que se chama "o morada dos deuses "). Deve-se lembrar acima de tudo que o pensamento congelado pelas escrituras é uma prisão para a alma. O milagre da vida não pode ser escrito.